Início da vida sexual: precisamos de mais naturalidade e conversas mais transparentes

Início da vida sexual

O início da vida sexual da mulher deve ser tratado com naturalidade, sem preconceitos e tabu para preservar a saúde e o bem-estar da jovem. E, por isso, é importante que os pais conversem sobre sexualidade de maneira natural, da mesma maneira como explica e alerta sobre outros temas importantes e que exigem atenção e cuidado.

Falar sobre sexualidade não é só alertar sobre a gravidez indesejada, mas também explicar sobre as doenças sexualmente transmissíveis e conversar sobre responsabilidades e respeito.

Conversar, informar e educar

O diálogo franco é a maneira mais eficaz de alertar sobre os riscos que a relação sexual sem proteção traz à saúde.

Segundo estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz, uma em cada quatro jovens, no início da vida sexual, está contaminada com o vírus HPV que pode causar câncer de colo de útero.
Pesquisa do IBGE mostra que os números de partos realizados entre meninas de 10 a 19 anos é muito alto: foram mais de 400 mil, segundo levantamento realizado em 2009.

Esses dados mostram que é necessário adotar medidas educativas e informativas para mudar a forma com que o tema é tratado e incentivar o comportamento saudável entre os jovens.
É preciso falar sobre as questões positivas e negativas que envolvem o início da vida sexual.

O tema deve ser tratado desde a infância, de maneira igualitária entre meninos e meninas, falando sobre o respeito e explicando que ambos têm iguais responsabilidades em cuidados e medidas de preservação da saúde.

Acompanhamento ginecológico

As visitas ao ginecologista também devem ser tratadas com naturalidade. A primeira consulta costuma acontecer após a primeira menstruação, mas essa não é uma regra. As meninas podem iniciar esse acompanhamento antes mesmo da menarca, para já receberam as orientações e estarem melhor preparadas para o momento. O mesmo acontece para as jovens que iniciam a rotina de cuidados e consultas ginecológicas antes de começar a vida sexual.

As consultas frequentes são de extrema importância para realizar exames de prevenção, receber orientações e manter a saúde de meninas e mulheres em todas as fases da vida.
Pais, conversem com as suas filhas e os seus filhos! Construam uma relação de confiança, acolhimento e sinceridade para falar e orientar sobre os cuidados e as responsabilidades com a saúde deles e de quem eles amam.